siga-nos nas redes
Facebook
Twitter
rss
iTunes

Curas com catatuas

O anúncio que se segue é apenas um exemplo daquilo que qualquer lisboeta encontra diariamente na sua caixa de correio (e eu tenho daqueles autocolantes que dizem “Publicidade não, obrigado!”. Imaginem se não tivesse!).

professormacumbe.gif

No entanto, houve algo neste cartão/panfleto que me saltou à vista (sim, porque eu leio estas merdas até ao fim). É precisamente a parte das curas com catatuas!

De acordo com a informação presente nos anuários de magia negra, dos quais sou um fiel assinante, a cura com catatuas funciona da seguinte forma. Você agarra numa catatua com jeitinho, arranca-lhe uma pena e, dependendo do sítio para onde a catatua gritar – mais para a sua direita ou mais para a sua esquerda – então aí você ganha uma boa pista do rumo que deve tomar para resolver o seu problema. Uma espécie de Oblique Strategies (Brian Eno/ Peter Schmidt) mas mais artesanal e engraçado.

Exemplo: no outro dia encontrava-me a conduzir na Segunda Circular e estava dividido entre ir à Mediamarkt ver os DVD’s em promoção (porque não sou parvo!) ou comer uma bola de Haagen-Dazs na gelataria do Colombo. Lembrando-me das palavras sábias do professor Macumbé e – em especial – do grito periclitante da pobre catatua em direcção à janela aberta da marquise onde o homem dá as consultas, optei por virar para a direita. Afinal, era à minha direita que a janela se encontrava. Problema resolvido! Não gastei dinheiro em gelados que só me fariam mal, não ajudei à engorda do pneu e comprei o Hellboy por apenas 2,99 euros! (ok, é um filme da treta, mas é sempre bom para ver naquelas noites em que não sabemos o que fazer…).

Mas há outras coisas interessantes no anúncio do Professor Macumbé e dignas de ser analisadas com calma.

Ora vejamos:

Professor Macumbé

Começa logo com o título, não é? A palavra “Professor” ainda é dotada de algum carisma nos dias que correm, desde que não se refira a um professor do ensino secundário, claro. Esses podem ser enxovalhados à vontade pois, a ver pela forma como são tratados, não fazem grande falta. E o “Macumbé” dá-lhe um certo quê de estilo. Um estilo étnico tão na moda nos dias que correm.

Especialista em todos os trabalhos ocultos.

Acho esta frase um pouco vaga. Uma instalação eléctrica, por exemplo, poderá ser considerado um trabalho oculto? Ou não?

Resultados rápidos e garantidos.

Isto é bom! Temos de nos livrar desta irritante mania actual de querer qualidade ao invés de rapidez. Quer dizer, hoje em dia as pessoas querem qualidade e rapidez, seja no que for. E também garantia. E também o melhor preço. E depois ainda nos perguntamos porque é que a sociedade ocidental está em declínio… Em abono da verdade, admiro alguém que oferece resultados rápidos e garantidos. Ando à espera há dois meses que uns sacanas quaisquer me coloquem janelas duplas num quarto, e até agora nada!

Dotado de bom hereditário.

Ter bons genes também é um ponto a favor do Professor Macumbé. Aliás, é um ponto a favor para o Professor Macumbé e para todos nós. Quem é quem, hoje em dia, não é apenas alguém. Tem de ser alguém que é filho de alguém. Caso contrário, é apenas filho de qualquer um. Ou tomando como exemplo a resposta que dei a uma conhecida figura da socialite nacional que me confidenciou ser duma família muito antiga, “Ah, eu não, sabe… A minha família não é antiga. Eu fui criado em laboratório.” Ter bons genes é essencial. Se o Professor Macumbé tivesse maus genes, não era eu que lhe confiava os meus euros.

Segue-se uma lista de resolução de problemas mais comuns (amor, depressão, casamento, etc.) onde não posso deixar de salientar o problema da “SORTE AO JOGO”. Mas desde quando é que isso é um problema?! Ou será que o Professor Macumbé, na sua douta sabedoria, já está a antever o que se passará na cabeça do apostador sortudo no dia em que a sorte lhe virar as costas? (“Raisparta esta merda! Bolas, eu bem vi naquele folheto que isto de ter sorte ao jogo era um problema! Agora estou a perceber porquê! Será que mandei aquela treta fora?”)

Consultas pessoais, por telefone, carta ou à distância.

Aquilo que posso daqui depreender é que uma consulta por carta não é considerada uma consulta à distância. Assim sendo, o que será? Eu posso ir ter com Professor Macumbé, posso ligar-lhe e posso escrever-lhe. O que é que será então uma consulta à distância para ele? Messenger? Telepatia? Sinais de fumo?

Para terminar, e porque a minha vida não é isto (ainda tenho duas consultas para dar antes da hora do almoço), note-se apenas a linha final (antes do endereço), onde o Professor Macumbé deixa claro que os pagamentos são para ser efectuados depois do resultado. Como é que será que isto funciona?

Deixem-me aproveitar para criar também o meu anúncio.
Afinal, se um imigrante africano, provavelmente ilegal, consegue ganhar a vida a sacar dinheiro a pobres ignorantes, ao menos que esses pobres ignorantes sejam roubados por alguém que não vai mandar o dinheiro para fora do país. O dinheiro que eu amealhar vai ser gasto dentro das nossas fronteiras, ajudando a nossa economia a florescer.

Agradecia que todos os leitores deste site (os que chegaram até aqui, pelo menos) se dessem ao trabalho de distribuir o meu anúncio aos seus amigos, bem como colocá-lo nas caixas de correio dos respectivos prédios. E despachem-se, pois o meu carro já está a dar sinais da sua idade e está na altura de fazer um upgrade!

professortoscano.gif




Tenho impressão que o querido autor fez uma fraca interpretação das “curas com catatuas”.

Não me parece que se trate aqui das simpáticas aves palrantes, mas de um par de irmãs octogenárias (manas catatuas), que do alto dos seus andarilhos e/ou cadeiras de rodas ficarão ao serviço do consulente durante uma semana.

Aí sim, aqueles que tiverem problemas conjugais, passarão (vulgo catatua) a ver o que é bom para a tosse, a aturar as duas velhas com conversa de chacha e vernáculo de farmácia, em vez de levar só com o dia de merda passado nas compras que a querida esposa teve, à hora do jantar.

Ai Karamba!


Porra, mas agora fiquei curioso: que raio são “curas com catatuas”?! Alguém sabe?

Estou tentado a mandar um sms para um daqueles telemóveis e tentar descobrir o que é… (ou será uma jogada de marketing do Macumbé para deixar o pessoal curioso?)


Diz-se “catatuas” ou “cacatuas”?


Acho isto muito estranho… Então o Professor Macumbé e o Professor Toscano moram um com o outro? O Professor Toscano anda a dormir com a concorrência?!?!

Deve ser para pouparem nas catatuas, há que dividir despesas e a comida de pássaros está muito cara!!!!

ps. o site está muto giro, parabéns


Mas vocês acham que eu alguma vez deixaria aqui a minha morada e o meu número de telemóvel? ;-) (o mais triste é que provavelmente ninguém me ligaria mesmo que eu deixasse…)


Oh!!!!!!
Eu já me estava a preparar para fazer umas esperas à porta de sua casa, e chamadas anónimas durante a noite.

Lá vou ter de me contentar com o Professor Macumbé!!!!


As esperas e chamadas anónimas são o menos! O meu maior medo é daqui a uns tempos chegar a casa e descobrir que tenho novamente sogros e a mobília fora do sítio… ;-)


E com isto não quero dizer que os meus ex-sogros não sejam boas pessoas, atenção! Era só uma piada que tinha de ser mandada.

Deixe o seu comentário